Horto Bom Jardim header

mais vida no seu dia-a-dia.
cultive plantas!

Plantas Ornamentais

Conheça algumas espécies que podem ser encontradas em nosso horto.

Bromélia Imperial ou Bromélia Gigante

Bromélia Imperial ou Bromélia Gigante

Nome Científico: Alcantarea imperialis

Origem: Brasil

Características: Herbácea perene, acaule, terrestre, com folhas dispostas em roseta muito ornamental. Seu crescimento é lento e exige poucos tratos culturais. Produz uma inflorescência amarela, alta e ereta, mas seu valor ornamental fica por conta da folhagem, que quando nova é avermelhada, tornando-se mais verde com a idade.

Cuidados: Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em substrato leve e bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Planta tipicamente tropical, a bromélia-imperial aprecia a umidade e o calor. Solo bem drenado e regas periódicas, 2 vezes por semana.

Bromélia Porto Seguro

Bromélia Porto Seguro

Nome Científico: Aechmea blanchetiana

Origem: Brasil

Características: Herbácea epífita, perene, rizomatosa, robusta, de folhagem e florescimento decorativos, de 60 a 90 centímetros de altura, nativa do Brasil.Folhas longas, rijas, laminares, verde claras, côncavas, basais e em roseta, sem espinhos nas margens. Inflorescência compostas, ramificadas, em panículas de espigas, dispostas acima das folhas, com flores protegidas por brácteas amareladas, formadas durante o verão.

Cuidados: Cultivada isoladamente ou em grupos formando maciços densos, a pleno sol ou a meia sombra, em canteiros ricos em matéria orgânica, mantidos umedecidos, podendo eventualmente ser cultivada em vasos. Não tolera geadas fortes.

Bromélia Neoregelia

Bromélia Ninho-de-Passarinho ou Neoregelia

Nome Científico: Neoregelia sp

Origem: Brasil

Características: Neoregelia  é um gênero de bromélias de características majoritariamente epífitas e que apreciam a luminosidade.  Suas folhas são bastante rígidas e brilhantes e podem alterar sua cor para situações de maior ou menor luminosidade ou durante a floração para atrair os polinizadores. Durante a floração algumas espécies ficam com as pontas das folhas de cor diferente, outras alteram apenas a cor das folhas em torno da inflorescência. Após a floração a planta emite brotações laterais ou estolhos, dos quais surgirão novas plantas.

Cuidados: Devem ser cultivadas em substrato para epífitas, como casca e fibra de côco, areia, entre outros materiais. A luz é um fator importante para esta bromélia, que pode receber luz direta durante as horas mais frescas do dia, como pela manhã e à tardinha e meia sombra no resto do dia.

Cica

Cica

Nome Científico: Cyca revoluta

Origem: Japão e Indonésia

Características: Vedete dos jardins contemporâneos e tropicais, a cica se parece com uma palmeira. Suas folhas são longas, rígidas e brilhantes, compostos por folíolos pontiagudos. A planta tem crescimento bastante lento, o que a torna muito valorizada no mercado. Ela multiplica-se pelas sementes formadas no ápice, mas principalmente pelas brotações laterais que surgem na planta adulta. Vai bem como planta isolada e em conjuntos no jardim ou em vasos.

Cuidados: Deve ser cultivada a pleno sol ou meia-sombra, em terra de jardim enriquecida com composto orgânico e areia, formando uma mistura leve e permeável.

Pandano

Pândano

Nome Científico: Pandanus utilis

Origem: Polinésia

Características: O pândano é uma árvore tropical, de copa piramidal e de aspecto curioso.  Embora seja semelhante a uma palmeira, ele pertence à uma ordem própria a Pandanales. O pândano pode atingir mais de 10 metros, mas mesmo quando jovem é uma planta vistosa. Multiplica-se por sementes e por divisão das mudas formadas entorno da planta mãe.

Cuidados: Deve ser cultivado sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado periodicamente. Tolerante à maresia, ventos e salinidade do solo, o pândano é uma árvore ideal para o litoral. Planta tipicamente tropical, não tolera clima frio ou seco.

Orquidea

Orquídeas

Nome Científico: ----------------

Origem: -------------------------

Características: Considerada por muitos estudiosos como a maior de todas as famílias botânicas, com número de espécies estimado em 35000, as orquídeas fascinam pela sua beleza e complexidade.Estão espalhadas por todo o globo terrestre, desde o Ártico até os Trópicos. Mas é nas regiões mais quentes que é encontrada em maior abundância e variedade de cores e formas.

Cuidados: Orquídeas podem ser cultivadas em vasos, placas de xaxim ou fibra de côco e ainda em madeira ou mesmo em árvores, terra ou pedra, dependendo da espécie. Podem florir, em sua maioria, uma vez ao ano, quando tratadas de maneira correta.

Heliconia

Heliconias

Nome Científico: Heliconia rostrata

Origem: América do Sul

Características: As helicônias são plantas de origem neotropical, mais precisamente da região noroeste da América do Sul. Desenvolvem-se em locais sombreados ou a pleno sol, de úmidos a levemente secos e em solos argilo-arenosos. As flores da helicônia são apreciadas pelos beija-flores pois são ricas em néctar. O pico de produção normalmente ocorre no início do verão, declina no outono e cessa no inverno, quando a temperatura média se aproxima de 10º.

Cuidados: Bem drenado, rico em matéria organica e úmido. Suficiente para manter o solo sempre úmido. Cuidado para não encharcar. Uma semana depois de semear, aplique um adubo rico em fósforo para estimular o desenvolvimento radicular. Com 6 meses, aplique um adubo rico em potássio para preparar a planta para a floração. Depois a cada 3 meses esterco de curral curtido.

Agave

Agave

Nome Científico: Agave attenuata

Origem: México

Características: O agave-dragão é uma planta muito utilizada no paisagismo, em composição com outras plantas ou em maciços. Tem folhas grossas verde-claras com superfície acinzentada. Pode emitir uma inflorescência longa e cilíndrica com muitas florezinhas. Com o tempo, surgem desta inflorescência, diversas mudinhas de novos agaves-dragão.

Cuidados: Deve ser plantado a pleno sol, com solo fértil e com regas regulares. O agave-dragão viceja com muito mais facilidade no calor. Combina muito bem com jardins geométricos e tropicais.

Agave

Agave angustifolia

Nome Científico: Agave angustifolia

Origem: Antílhas e México

Características: A piteira-do-caribe é um planta escultural muito adaptada a seca. Suas folhas são longas, rígidas, em forma de espada, dispostas em roseta, com margens de coloração branco-creme ou amarelo e possuem espinhos nas margens e nas pontas. O tronco é curto e serve para a produção de Mezcal, nome genérico para os licores mexicanos, que incluem a conhecida tequila. A floração ocorre quando as plantas estão adultas. A inflorescência é muito alta, chegando a 3 metros de altura e apresenta flores amarelas ou brancas.

Cuidados: Devem ser cultivadas sob sol pleno, em solos leves, bem drenáveis e enriquecidos com matéria orgânica. Pouca rega, apenas quando o substrato secar. Devem ser adubados anualmente, durante o período de crescimento. Toleram condições de sombra parcial. Multiplicam-se por sementes e pela separação das mudinhas que se forma na inflorescência e na base da planta mãe.

Palmeira Phoenix

Palmeira Phoenix

Nome Científico: Phoenix roebelenii

Origem: Vietnã e Tailândia

Características: O crescimento é lento, atingindo de 2 a 4 metros de altura e diâmetro do tronco em torno de 15 a 20 centímetros, razão pela qual muitos a chamam de mini-palmeira. Prefere sol pleno, mas pode ser cultivada à meia-sombra e até em interiores bem iluminados, inclusive em vasos. Resiste ao frio e é freqüentemente encontrada em jardins do Brasil e em decoração de interiores.

Cuidados: Adapta-se aos mais variados tipos de solo, mas prefere os bem drenáveis, úmidos e ricos em matéria orgânica. Necessita de limpeza no tronco para retirada dos restos de folhas, assim como das folhas mais baixas que vão ficando amareladas. Possui espinhos na base das folhas, razão pela qual todo o cuidado se faz necessário no momento da limpeza.

Palmeira Azul

Palmeira Azul

Nome Científico: Bismarckia nobilis

Origem: Madagascar

Características: É uma das palmeiras mais nobres do mundo, pela imponência de sua folhagem azul-acinzentada. Sua beleza é notada principalmente nas plantas mais jovens. É de crescimento lento e pode atingir de 15 a 20 metros de altura. È utilizada geralmente para decoração de grandes jardins graças as formações simétricas de suas enormes folhas de cor levemente azulada ou esverdeada (dependendo da variação).

Cuidados: Essa planta suporta tranquilamente ser criada tanto ao sol quanto em lugares de clima frio, desde que não chegue a temperaturas congelantes. É importante que seu solo possua uma boa drenagem e nutrientes suficientes para seu crescimento, isso pode ser obtido através da mistura de areia grossa e fertilizante orgânico.Deve-se aguá-la frequentemente, porém é importante observar a drenagem do solo para que não fique por demasiado encharcado.

Palmeira Carpentaria

Palmeira Carpentaria

Nome Científico: Carpentaria acuminata

Origem: Zona tropical da Austrália

Características: A Palmeira Carpentária se caracteriza pela sua grande estatura e folhas também bem grandes e elegantes.Planta com folhas pinadas e arqueadas, verde escuro na face superior e verde azuladas na parte inferior.

Cuidados: Para evitar que o encharcamento cause a aparição de doenças, principalmente enquanto a planta ainda é jovem, aconselha-se a plantá-la em solo com um pouco de areia grossa misturada para facilitar a drenagem.

Palmeira Imperial

Palmeira Imperial

Nome Científico: Roystonea oleracea

Origem: Antilhas

Características: Palmeira cultivada a pleno sol, isolada, em grupos ou em fileiras. Pode atingir 30 metros de altura. Ela tem o crescimento lento, raízes do tipo cabeleira, propaga-se por sementes, necessita de locais bem espaçosos. Tem um palmito exposto volumoso comestível no topo. Folhas pinadas, grandes, planas pela distribuição uniforme dos folíolos. Grande efeito paisagístico.

Cuidados: Pode ser cultivada em parques e jardins desde que estes apresentem locais espaçosos e ensolarados. Seu palmito é comestível. 

Palmeira Licuala

Palmeira Licuala

Nome Científico: Licuala grandis

Origem: Oceania - Ilhas Nova Britânia

Características: Palmeira de ocorrência natural em Sumatra. Altura máxima do caule em torno de 3 m. Seus frutos são arredondados, com polpa suculenta, de coloração vermelha quando maduros. A imponência de suas folhas amplas, de margens denteadas, proporciona à espécie uma excepcional característica ornamental, podendo ser cultivada em vasos, canteiros e parques. É indicada para regiões litorâneas chuvosas, de solo rico.

Cuidados: Quente e úmido, não tolera frio e vento que irão rasgar suas folhas. Necessita de solo sempre úmido. De crescimento lento. Cultivar em solo rico em matéria orgânica e que tenha boa drenagem.  Adubações mensais irão deixar a planta mais vistosa e acelerar um pouco seu crescimento.

Palmeira Rabo de Raposa

Palmeira Rabo de Raposa

Nome Científico: Wodyetia bifurcata

Origem: Nordeste da Austrália

Características: De nome cientifico Wodyetia bifurcata, essa palmeira se destaca pelo fato de suas folhas apresentarem um arranjo não ortodoxo que lembra um rabo de raposa. Atinge cerca de dez metros quando adulta apresentando arranjos de folhas que podem chegar a medir mais de três metros de comprimento.

Cuidados: A rabo de raposa não apresenta nenhum problema com sol, calor, vento ou frio, sendo assim considerada uma planta extremamente resistente e flexível. Misture ao solo antes do seu plantio uma boa quantidade de adubo orgânico e areia grossa, assim a planta não sofrerá nenhuma falta nutricional e devido a boa drenagem de solo arenoso você não terá problema com fungos que nascem em locais encharcados.

Palmeira Veithia

Palmeira Veitchia

Nome Científico: Veitchia merrillii

Origem: Filipinas

Características: Palmeira de tronco simples ,acinzentado, liso, dilatado na base, com palmito verde- acinzentado e visível no topo,de 15-20 m de altura por cerca de 20 cm de diâmetro.
Inflosrescências grandes, dispostas abaixo do palmito,muito ramificado,com flores esverdeadas, seguidas de frutos ovalados, vermelhos e vistosos, de cerca de 2,5cm de comprimento. 
Palmeira bastante elegante, é adequada para paisagismo em geral.

Cuidados: Pode ser cultivda em vasos quando jovens. Tolera, desde a fase jovem, tanto o pleno sol como a meia-sombra. 
Também produtora de palmito comestível, o que a tornou quase extinta no habitat natural.

Palmeira Triangular

Palmeira Triangular

Nome Científico: Dypsis decary

Origem: Madagascar

Características: Palmeira de porte médio, de folhas acinzentado-azuladas, com folhas dispostas em três direções distintas e equidistantes, trazendo um aspecto “triangular” à planta. Ótima característica rústica vai bem a climas tropicais e solos bem drenados. Por sua facilidade de reprodução, e rapidez no crescimento, é uma das palmeiras com melhor relação custo-benefício.

Cuidados: Planta rústica, vai bem em climas tropicais, em solos bem drenados. Quando adequadamente adubada, é uma das palmeiras que causam maior impacto visual.

Ravenala

Ravenala

Nome Científico: Ravenala madagascariensis

Origem: Madagascar

Características: Conhecida popularmente como palmeira dos viajantes, palmeira ravenala ou árvore dos viajantes, a Ravenala madagascariensis é uma planta que atinge quase dez metros de altura e tem um aspecto muito curioso graças ao desenho formado por suas folhas, que chegam a lembrar um moinho. Outra particularidade curiosa dessa planta nativa da ilha de Madagascar é o fato dela acumular água da chuva entre seus ramos, dai então veio seu nome popular, os viajantes procuravam muito essa árvore para poderem beber essas reservas d’água.

Cuidados: Por ser uma planta de clima semelhante ao brasileiro ela não sofre nenhum problema de adaptação, podendo ser cultivada diretamente sob o sol em quase todo o país, não suportando apenas o frio rigoroso de algumas regiões, como no sul.

Pleomele Reflexa

Pleomele Reflexa

Nome Científico: Dracena reflexa

Origem: Madagascar e Ilhas Maurício

Características: A pleomele é uma planta arbustiva, de textura semi-lenhosa e amplamente utilizada no paisagismo e na decoração de interiores.
Atinge uma altura média de 2 a 3 metros, embora possa atingir 6 metros no seu habitat de origem. Elas são rústicas e quando podadas corretamente podem formar ótimas cercas vivas. Podem ser utilizadas em ambientes internos, onde são muito apreciadas na decoração por sua beleza e tolerância às condições de baixa luminosidade e também é uma das plantas recomendadas para purificação do ar em interiores.

Cuidados: Deve ser cultivada sob sol pleno, meia-sombra ou luz difusa, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. A pleomele é tipicamente tropical, apreciando o calor e a umidade.
Ela deve ser fertilizada quinzenalmente durante a primavera e verão. É sensível ao frio intenso, a geadas e a salinidade de regiões litorâneas; e tolerante a curtos períodos de estiagem. Quando mudada bruscamente de ambiente, ela pode se ressentir, perdendo parte das folhas. Multiplica-se facilmente por estaquia de ramos lenhosos, semi-lenhosos e ponteiros.

Dracena Tricolor

Dracena Tricolor

Nome Científico: Dracena marginata

Origem: Madagascar

Características: A dracena-tricolor possui uma folhagem tricolor como próprio nome diz, ideal para quem gosta de um paisagismo ornamental.
As suas folhas são alongadas e estreitas e o seu diferencial esta nas nuances de suas folhas que são avermelhadas com estrias esbranquiçadas.
Esta planta possui um tronco muito flexível que pode ser facilmente entortado.  Sua propagação é por estaquias.

Cuidados: Deve ser cultivada a sol pleno ou meia sombra, clima quente, pois uma planta Dracena e uma planta tropical e não gosta de frios e ventos fortes. A poda deve ser feita apenas com a retirada das folhas inferiores que estiverem secas, fertilizadas anualemnte e com regas semanais.

Estrelitzia

Estrelítzia

Nome Científico: Strelitzia reginae

Origem: África do Sul

Características: A estrelítzia é uma planta herbácea muito popular e tradicional. Seu nome científico é
uma homenagem à rainha Sofia Carlota de Mecklenburg-Strelitz, esposa do rei Jorge III, do Reino Unido. Ela é entouceirada, rizomatosa e apresenta folhas rijas e coriáceas, de coloração verde-azulada, muito ornamentais.

Cuidados: Devem ser cultivadas à pleno sol ou meia sombra, em solo fértil, bem drenado, e enriquecido com matéria orgânica, regados regularemente. Tolera geadas fracas e aprecia o clima ameno dos subtrópicos. Multiplica-se por sementes, mas principalmente por divisão das touceiras.